Como aplicar a iluminação perfeita

A iluminação é um dos pontos fortes da decoração, sendo fundamental inclusive para dar destaque e personalidade aos ambientes. Ela é capaz de alterar a percepção do tamanho do local, além do que, se combinada com os móveis, acrescenta mais funcionalidade e estilo aos cômodos.


Por tudo isso, iluminar a nossa casa vai muito além de colocar lâmpadas nos ambientes. Algumas técnicas, procedimentos e modelos específicos são muito importantes para ter a iluminação perfeita.


A primeira dica é escolher qual tipo de iluminação usar em cada espaço da casa. A iluminação direta, por exemplo, é aquela que precisa convergir diretamente sobre o plano horizontal. Para aplicá-la, as lâmpadas, lustres ou luminárias precisam ser instaladas de forma que 90% a 100% da iluminação seja focada para baixo. Nestes casos, teto e paredes recebem um volume menor de luz. A dica é não utilizar este tipo de iluminação em superfícies reflexivas, como vidros, mármores e espelhos.


Outro tipo de iluminação que tem ganhado espaço no décor é a indireta. Diferente da luz direta, o seu foco não é totalmente iluminar e sim proporcionar uma luz suave, de ambientação. Este tipo de iluminação é super indicada para quem quer um espaço mais aconchegante e intimista.


Luminárias de mesa, sancas de gesso no teto e forro ou mesmo luzes pisca-pisca são boas opções para uma iluminação indireta. Se possível, mantenha as superfícies reflexivas em tons claros.


Para os espaços mais utilizados em tarefas como leitura, uso do computador ou trabalhos manuais delicados, a dica é o uso da iluminação dirigida tarefa, que proporciona conforto visual, contribuindo para que não seja preciso forçar a visão nestas tarefas. Luminárias de mesa, spots com foco direcionável e abajures são boas alternativas.


Outra opção é a iluminação dirigida destaque. Ela é utilizada, como o próprio nome diz, para destacar focos específicos do décor. Ideal para quem deseja focar a atenção em um quadro, escultura ou detalhe da arquitetura. Para esta iluminação, posicione o ponto de luz em um ângulo de 30 graus em relação ao local que se deseja evidenciar.


Depois de escolhido o tipo de iluminação utilizada é importante ter atenção em alguns pontos. Por exemplo: evite pontos de luz onde o reflexo e a potência da iluminação deixem a visão desconfortável e evite ao máximo direcionar pontos luz para espelhos de forma direta.


Na hora de escolher a luminária, analise as dimensões do ambiente. Se o cômodo for espaçoso, utilize lustres em formatos maiores, o que destacará o ambiente e a iluminação. Já para espaços menores, lustres próximos ao teto ou embutidos são indicados.


Lembre-se também que cada ambiente pede um tipo de lâmpada. O quarto, por exemplo, por ser um ambiente de descanso, pede uma lâmpada mais aconchegante, uma luz quente. Já na cozinha e no home office, onde é preciso mais atenção, as luzes frias são as indicadas.


Viu só como é possível adaptar a iluminação de acordo com cada ambiente? Inspire-se!



Loading...

Carregando...